AGENDA
28/10 - Jundiaí / SP
Igreja Batista Central de Jundiaí - IBACE

DEPRESSÃO POR NÃO CONCORDAR COM DEUS


DEPRESSÃO POR NÃO CONCORDAR COM DEUS

“Jonas, porém, ficou profundamente descontente com isso e enfureceu-se. Ele orou ao Senhor: Senhor, não foi isso que eu disse quando ainda estava em casa? Foi por isso que me apressei em fugir para Társis. Eu sabia que tu és Deus misericordioso e compassivo, muito paciente, cheio de amor e que prometes castigar mas, depois, te arrependes. Agora, Senhor, tira a minha vida, eu imploro, porque para mim é melhor morrer do que viver” (Jn 4.1-3)

Fico a imaginar o interior de Jonas (suas lutas e conflitos espirituais e emocionais) desde o momento em que recebe o chamado divino para pregar em Nínive, que era inimiga de seu povo e logo seria usada como instrumento de Deus para discipliná-lo – e Jonas sabia disso!

 Não foi fácil para ele aceitar sua missão e concordar com a vontade divina! Assim como, também, não o foi para Habacuque entender e aceitar por que Deus usaria uma nação – Babilônia -, mais pecadora que Judá para castigar, disciplinar seu povo. Da mesma forma que não foi para Pedro – depois de todo seu convívio com Jesus -, vencer seus preconceitos e se dispor a ir pregar ao “gentio” Cornélio, constatando o amor e misericórdia divinos para com todos, oferecendo-lhes sua gloriosa salvação.

Muitas pessoas sofrem de depressão por lutarem com Deus, lutarem contra Deus. Não aceitam a natureza perdoadora divina; o caráter compassivo e misericordioso com que ele trata o pecador, o transgressor. Elas têm um inimigo, um ofensor; alguém que lhes machucou; que lhes abriu uma ferida na alma, no seu emocional; e, agora, relutam em perdoá-lo, entregá-lo totalmente aos cuidados divinos como manda a Bíblia. As verdades bíblicas, até podem chegar às suas mentes; mas nunca deixam descer ao coração, penetrar e transformar suas emoções, seus sentimentos.

E se propormos, então, a essas pessoas irem mais além, como mandou nosso Senhor Jesus? “Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem”; “Mas eu lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém o ferir na face direita, ofereça-lhe, também, a outra” (Mt 5.44, 39). Aí, então, suas lutas internas, seus conflitos espirituais aumentam num grau gigantesco. Isso acaba provocando depressão como aconteceu com Jonas. Deus teve que trabalhar com ele para, então, finalmente, aceitar seu caráter bondoso e realizar sua missão – mesmo a contragosto. O caso de Jonas foi pior porque ele teria que trabalhar a favor do seu inimigo, trabalhar pela sua salvação; e ele não estava a se alegrar com o bem, a bênção, a salvação do seu pior inimigo. Resultado? Isso lhe provocou depressão!

Tem gente que tem dificuldade em aceitar a conversão de bandidos, ladrões e assassinos na prisão quando são evangelizados! Que eles se transformem em pastores, pregadores do evangelho? Nem pensar! São contra, até mesmo serem alimentados nas prisões com o dinheiro dos nossos impostos. Ir lá pregar o evangelho para eles? Nem pensar! Inaceitável! Não é sem causa que muitos passem pela depressão. É preciso liberar o perdão. O perdão é um ato unilateral, que não depende da atitude do meu inimigo, do meu ofensor para comigo. Fomos criados para o amor, para a generosidade. Qualquer atitude contrária a isso faz muito mal – mais a nós mesmos do que ao nosso ofensor! Alguém já disse que, guardar rancor no coração, é como armazenar gasolina num copo descartável: Ela irá corroê-lo, destruí-lo! Se você está vivendo uma situação assim, aceite a cura pela adesão ao projeto de Deus. Veja o que ele diz: “O homem bondoso faz bem à sua própria alma; mas o cruel faz mal a si mesmo” (Pv 11.17). Aqui está muito mais do que um princípio de autoajuda, de cura interior; aqui está um princípio de AJUDA DO ALTO, de CURA DIVINA.

Um grande abraço e até a próxima. Pr Genevaldo.

Ver mais comentários

Comentar




Enviar