AGENDA
09/05 - JUNDIAI / SP
Congresso de Homens da ABREJUND
12/04 - Pouso Alegre / MG
Igreja Batista Betel
11/04 - Pouso Alegre / MG
Igreja Batista Betel
10/04 - Pouso Alegre / MG
Igreja Batista Betel

LIDERANÇA CRISTÃ: O QUE FAZER QUANDO O INIMIGO ATACA


LIDERANÇA CRISTÃ: O QUE FAZER QUANDO O INIMIGO ATACA

Nosso texto, hoje, é 2 Samuel 16.5-14. Gosto de textos que falam através do seu contexto; onde podemos encontrar princípios maravilhosos em seu contexto e em suas entrelinhas. Aqui está um deles. Vejamos:

Absalão havia se levantado contra seu próprio pai e, através de um Golpe de Estado, se fizera rei em seu lugar em Israel. Como consequência, Davi teve que fugir apressadamente para não ser destruído com o que sobrara de seu Exército, amigos e colaboradores mais próximos, bem como com suas mulheres e filhos. É exatamente nessa fuga que algumas coisas acontecem e de onde vamos extrair nossos princípios de liderança cristã.

Deus perdoa nossos pecados, mas o inimigo não! Muitas vezes o líder acha que, em função de ter sido perdoado por Deus, por causa do seu arrependimento e fé, pela graça divina, não terá que lidar com as consequências dos seus erros, pecados, fracassos. Davi havia adulterado com Bate-Seba, praticamente assassinando Urias. Nessa fuga, Simei que era da família de Saul, que com certeza sabia que Deus havia dado o reino a Davi, se aproveita da situação para amaldiçoa-lo, chamando-o de “assassino e  bandido”. Davi é um homem “segundo o coração de Deus” porque, quando seu Exército quer eliminar Simei, ele toma a seguinte atitude: “Deixa-o em paz, ele está sendo um instrumento de Deus para que eu possa ver toda a extensão do meu pecado”; para que o meu pecado, mesmo perdoado, realmente possa se transformar num elemento “redentivo” no sentido de “contribuir para o meu bem”.

Quando o inimigo ataca, por causa dos nossos pecados, em vez de atacar o inimigo, é melhor atacar nossa consciência, numa atitude de autoexame. É exatamente isso que Davi faz. Ele raciocina: Se meu próprio filho procura me matar, não tenho condições morais e espirituais para condenar ou me defender do gesto deste inimigo. Neste momento, só posso contar com a “justiça de Deus”; e, assim, ele se refugia na graça do Senhor: “Talvez o Senhor considere a minha aflição e me retribua com o bem a maldição que hoje recebo" (v 12).

Um líder, protegido, revestido pela “justiça de Deus”, mesmo a despeito de suas falhas, pecados e fracassos, quando descansa e espera nesta “justiça”, pode ter a certeza de que Deus cuidará da sua causa. Foi o que aconteceu com Davi. Aitofel, um de seus melhores conselheiros, traiçoeiramente passou para o lado de Absalão. No entanto, Deus confundiu seu conselho dando a Davi tempo para fugir e reorganizar seu Exército. Aimaás e Jônatas, que ficaram em Jerusalém e estavam encarregados de levar as informações sobre os planos de Absalão a Davi, mesmo sendo descobertos, foram salvos e conseguiram levar-lhe as informações úteis para seu salvamento. Quando Davi chega a Maanaim, famintos e exausto com seu grupo, seus amigos (mesmo estrangeiros), providenciaram tudo o que eles precisavam para se alimentarem e descansar.

Líder, quando Deus está do seu lado e você luta com as armas da “Sua justiça”, ele mesmo cuida dos seus inimigos e lhe garante a vitória!

Ver mais comentários

Comentar




Enviar